sexta-feira, 14 de setembro de 2012

73% da população reclama do atendimento no HGV

Não adiantou maquiar o hospital nem por fora, nem por dentro, a nevralgia dos problemas de atendimento continua.

Numa situação considerada normal, onde o atendimento e demais procedimentos funcionam ainda é constatado um índice de reclamações da ordem de 30%. Mas, na atual administração este índice, mais do que dobrou.

A falta de médicos é o maior problema, assim como de técnicos (as) em enfermagem e também materiais para a realização de procedimentos. Outro problema que ainda persiste, é o do Rio X.

Como se não bastasse o descaso que se passa na unidade, Dilkin ainda se deu ao desplante de discutir com um pai que estava aflito pela demora no atendimento ao filho. Dilkin não apenas discutiu com o contribuinte como também queria chegar as vias de fato e partir para agressão.

Logo que assumiu em 2009, Dilkin tinha o desejo de vender o hospital ou, repassá-lo a iniciativa privada.

O Jornal A Voz denunciou o fato e até então o assunto ficou em silêncio. Porém, informações de bastidores dão conta que se caso Dilkin venha a ser reeleger, vai sim vender a unidade e se livrar do HGV.

Para quem entende do assunto, é o mesmo que dizer que quem é usuário do SUS terá seu ingresso limitado, senão cortado.

Agora em campanha, Dilkin mente inclusive em seu material, dizendo o que fez pelo HGV, quando em verdade, esta maquiagem vem sendo feita pelos amigos do hospital, meios frangos, pedágios e etc.

Nenhum comentário:

Postar um comentário