segunda-feira, 8 de outubro de 2012

A VOZ CANTOU A PEDRA SOBRE AS CADEIRAS NO LEGISLATIVO E SÓ TEVE UMA SURPRESA: SÔNIA DE BRITES



Apesar de haver alguns, que questionam A Voz e isto se dá pelo fato de dizer a verdade, A Voz vem há algum tempo sinalizando renovação na câmara de vereadores, mas, sinalizando a permanência de Cláudio Hansen e a velha raposa Dudu.

Cláudio Hansen, o tatu do Rincão, se reelegeu pela completa desinformação de seus eleitores sobre qual é o verdadeiro papel de um vereador e este mesmo eleitorado, ou ignora ou não sabe, que o vereador que reelegeram, nestes quase quatro anos de mandato, apresentou apenas um projeto e, ele mesmo diz, que não há necessidade de fazer isto.

Amigo do poder, Cláudio Hansen procura sempre estar ao lado deste e também, por detalhe não deu a mão publicamente a Waldir Dilkin. No entanto, vendeu seu voto para se beneficiar nos famosos asfaltos e por mais que queiram desmerecer, o jornal Suplemento, publicou verdades incontestes sobre o vereador. Mas, mesmo assim, A Voz tinha como certa sua reeleição ainda que pudesse perder alguns de seus votos como de fato aconteceu.

Cláudio Hansen terá então, este restante de mandato e mais quatro anos para fazer alguma coisa pelo município, posto que, até hoje não o fez.

Já a velha raposa, Dudu, pai das aposentadorias prontas e o maior frequentador de velórios, que também não tem muito interesse em fazer projeto que contribuam para o município e um dos que fez, sequer teve total conhecimento do que estava fazendo e ainda não tem, também era contado como certa sua reeleição. E, neste pleito, contou com a ajuda providencial do filho frente a Secretaria de Assistência Social, para levar alguns 'benefícios' ao eleitor de plantão em época de eleição, para se locupletar.

Com problemas de saúde sérios, é possível que não complete o outro mandato, mas, se Dudu morresse logo, morreria feliz, porque mesmo sendo um semianalfabeto, é um político sagaz e realizou seu sonho; projetar os filhos. Quem sabe seja melhor que a velha raposa já não faça mais parte deste mundo para não ter que ver o que acontecerá em breve a ambos no cenário político. Em especial a menina dos olhos de ouro dele, o Duduzinho, que está diretamente ligado ao caso nebuloso de Martineli.

A surpresa no entanto, foi a reeleição de Sônia de Brites, uma vez que no pleito passado, ela entrou muito mais pelo voto de legenda do que pela votação própria.

Há que se dizer porém, que a vereadora, ainda que noviça, soube se manter fiel a suas origens partidárias e soube se postular no legislativo, mesmo que contrariando seus colegas.

Sônia terá mais um mandato pela frente para então dizer que realmente aprendeu sobre os meandros do cenário político, mas, não podemos esquecer de lembrar, que ela soube tirar de letra o soco que o filho de Rosani desferiu no filho dela e continou altiva, seguindo a cartilha que acredita.

A vereadora terá muito que aprender ainda, mas com certeza, a reeleição de Sônia não foi de graça. Ela havia contado que, ao invés de contratar assessor (a), buscou o apoio de boa parte de seu alunado e estes foram, quem sabe, seus maiores cabos eleitorais.
Diferentemente de Rosani, que para fazer média, votou contra a contratação de assessores, mas, depois de um tempo, contratou uma e fez tudo parecer como se nada tivesse acontecido.

Sobre os que não se reelegeram, a excessão de Sônia, A Voz já vinha sinalizando este cenário que se confirmou neste domingo, mas, este assunto, é tema de outra matéria.