quinta-feira, 22 de novembro de 2012

PREF. DE NH TARCÍSIO ESTÁ FORA, HAVERÁ NOVA ELEIÇÃO. E COMO FICARÁ O CASO DE WALDIR DILKIN JUÍZA ROSELI, JÁ QUE A MAIORIA DA POPULAÇÃO NÃO O QUER MAIS?

O prefeito de Novo Hamburgo Tarcísio Zimmermann, que já havia perdido em primeira instância, também perdeu no Supremo seus direitos políticos, onde neste caso, o rigor da lei foi extremo, posto que, por mais que tenha sido provado e comprovado que a participação dele juntamente com Jair Foscarini num evento de inaguração da antiga FEBEM onde o ex-governador Rigotto os convidou para participar do cerimonial no palanque e sequer disseram qualquer palavra, foi motivo para a oposição levar este fato com cerca de dez anos a justiça eleitoral e pedir a impugnação da candidatura de Tarcísio e conseguiu.

Tanto na primeira instância, quanto no supremo, pelo visto valei o voto de minerva pois em ambas as câmaras os votos foram de 4X3.

O registro que deve ser feito no entanto, é que na cidade vizinha, Estância Velha, o prefeito José Waldir Dilkin conta com uma ficha muito extensa de improbidades administrativas e eleitorais, sendo que também no campo eleitoral, o crime começou em sua primeira eleição, quando foi conivente com o caso Martinelli cujo o objetivo foi tentar desmoralizar o PT e o ex-prefeito Toco, dando guarida a uma falsa testemunha de nome Vera.

Segundo informações obtidas pelo Jornal A Voz, ela se diz arrependida, mas teme pelo pior em relação a sua vida. O problema no entanto, é acreditar no que ela diz, pois até o momento tem estado a serviço dos mesmos que a contrataram para ajudar na encenação do suposto crime.

Se a falsa tesmunha tiver um pouco de juízo, declinará o que sabe, assim como os nomes de quem participou desta armação. Ela não deve esquecer, que Seco promoteu matar a ela e a filha por estar pagando uma conta que não é dele.

"Sociedade estanciense que chama a alguns de ilibados, com certeza ficará estarrecida quando a verdade dos fatos vier a tona".

Já neste pleito, a juntada de provas sobre os crimes eleitorais não param de chegar as mãos da doutora Eliana Matté, que por conseguinte, remete para o promotor Charles, que inclui; ameaças, intimidação, compra de votos por cestas básicas, distribuição de material de construção e, o famoso caso das casas.

Noutra ponta, o sentimento de derrota de cerca de 20 mil eleitores não deixa dúvidas de que a maioria da população não quer mais José Waldir Dilkin e sua troupe a frente da prefeitrua.

O promotor Charles além de seu trabalho investigativo, tem sido municiado pela doutora Eliana Matté e com certeza, deverá oferecer denúncia e pedir o afastamento do prefeito e outros dos cargos.

Dado ao volume de improbidades e crimes eleitorais, é certo que será pedida a cassação do atual prefeito.

A juíza Roseli por sua vez, em usando da razão, bom senso e atendendo ao clamor da população, não deverá negar os pedidos, posto que, ela já errou uma vez e, errar a segunda poderá comprometer sua imagam como juíza a frente da comarca de Estância Velha.

Porém, dado ao andamento do processo e a forma como a juíza tem se postulado, crê-se que ela com certeza não tomará outra decisão senão acatar tanto ao pedido da defesa quanto do MP, na figura do promotor Charles. E com certeza também, estará atendendo ao clamor da maioria da população e isto inclui o funcionalismo público, que tem feito verdadeiros malabarismos, em especial os da saúde para tentar dar um atendimento no mínimo regular face a falta de recusrso de toda a sorte.

Se Tarcísio caiu por nada, pode-se assim dizer, por que José Waldir Dilkin não haverá de cair uma vez que o volume de provas o incriminam sem que possa haver qualquer argumento?

Nenhum comentário:

Postar um comentário