segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

NATAL NO PAC: MAIS UM FRACASSO DA ADMINISTRAÇÃO DILKIN

Quem anda pela cidade, e não precisa ir longe, poder ver o descaso e abandono. Pode ver que nada do que disseram se cumpriu e não está se cumprindo. Afora isto, é de conhecimento público às divídas com os prestadores de serviços e por outro lado, alguns estão deixando de fazê-los por falta de pagamento.

Um fato curioso no entanto se tornou visível: antes era o Genésio quem fazia as roçadas e diga-se de passagem, cobrava muito bem, inclusive do que não fazia.

Recentemente foi visto um serviço desta natureza, mas efetuado pelo pessoal da prefeitura. O que aconteceu? Genéisio não está mais, não está recebendo mais, não estão podendo pagar a ele o seu preço superfaturado ou somente agora peceberam que a prefeitura conta com pessoal concursado para efetuar este tipo de serviço também?

Porém, isto é o mesmo que chover no molhado, afinal, a população já está cansada de saber que a atual administração mente e mente muito e pricipalemente, os que se diziam ser o suprassumo da tranparência, estão cada vez mais emaranhados pelas muitas denúncias que estão sendo feitas de toda a sorte de corrupção.

Mesmo assim, querendo esconder-se no viés da hipocrisia, depois de terem feito o maior ato terrorista, em pleno século XXI, num país cujo regime é a democracia e a liberdade de expressão é facultada na constituição, eles, para tentar fazer bonito com a população, onde mais de 20 mil eleitores não os querem, melhor dizendo, os detestam, ainda assim, arrumaram o PAC para o evento de abertura de natal.

A noite era boa, mas, mesmo assim, ninguém compareceu e o tão sonhado evento para fazer graça pro diabo rir, acabou sendo cancelado.

Claro que eles terão uma desculpa e uma mentira para apresentar a população. Mas a verdade inconteste é que a população não suporta mais sequer, ver a cara de José Waldir Dilkin e sua troupe. 

Desta forma, sobrou para o papai noel, a missão de receber as poucas crianças que compareceram com seus pais e fazerem os velhos pedidos de natal. De resto, o fracasso foi total e não demorou muito para José Waldir Dilkin a 'primeira dama' Magda e seus bobos da corte, sumirem para não se submeteram ao ridículo do que já era ridículo, ou seja: tentar mascarar o que já não tem mais como fazer, justamente tentando apelar para o emocional num período onde até o mais algoz dos criminosos, é capaz de se senbibilizar. Hipocrisia pura!

Nenhum comentário:

Postar um comentário