terça-feira, 7 de janeiro de 2014

POPULAÇÃO ESTÁ DESGOSTOSA COM ATENDIMENTO NO HGV! E AGORA VEREADORES?

Achando-se regentes das leis, mas sem qualquer noção de nada, os vereadores como já é sabido, assinaram um cheque em branco para o atual prefeito e sua secretária de saúde Ângela e, segundo eles, a pressão foi muito grande para aprovar a contratação da empresa ISEV, que em bem verdade, quando da fatídica lei, a aprovação já havia sido feita.

Eles, (os vereadores) tirando onda com a cara da população, fizeram de contas que promoveram uma audiência pública e, pior; usaram duas seções para votar e aprovar o que já estava votado e aprovado por eles mesmos, seja por incompetência, seja por má fé mesmo de alguns.

A verdade no entanto, é que o HGV agoniza pela falta de médicos e a população de igual forma pela falta de atendimento a contento as suas necessidades de saúde.

A outra verdade, é que até o momento, nenhum vereador apareceu no hospital para ver a calamidade e darem-se por entendidos do que fizeram, o mais analfabeto dos analfabetos, ainda assim, seria capaz de ver que o que foi feito; foi leviano e sem qualquer noção do real papel de um vereador. 

Mas, que assim seja, afinal, foi a população que os colocou lá. Tem até vereador já achando que será o próximo prefeito da cidade? (Saci), é claro! Um déspota e sem qualquer preparo ao qual a mesma legislatura, mais burra ainda, o reelegeu como presidente da casa. Graças ao PT é claro, que se julga acima de tudo e de todos e sabe de tudo e de todos.

A possível salvação: Mesmo que estejam miando pelos cantos ou se pronunciando nas redes sociais e sem eco e sem qualquer atitude que expresse o querer do povo, o presidente da UNASEV, Luigi Matté, depois de uma reunião com a diretoria e conselho, ingressou com duas representações para tentar reverter o quadro, sendo: No Ministério Público de contas e outra no Ministério Público do Estado.

Hoje, o presidente conversou com o promotor Wilson que disse ter pedido algumas informações ao município, como por exemplo, o fatídico contrato com a tal empresa.

Já o Ministério Público de Contas, informou ter feito o mesmo procedimento, dando prazo de cinco dias para que o município junte a documentação pedida pelo órgão.

É, pelo visto, se tudo der certo, quem poderá dar termo ao sofrimento da população, será aquele que alguns insistem em tentar denegrir, mas, que não compra votos, não está na mira da PF e nem faz de contas que é vereador.

A verdade também e para terminar, é que o jargão popular continua em alta: Cada povo tem o governo que merece!

Nenhum comentário:

Postar um comentário