quinta-feira, 12 de março de 2015

LGTBs QUEREM LIBERDADE E RESPEITO, MAS HUMILHAM E TENTAM SUFOCAR QUEM NÃO CONCORDA COM SUAS PRÁTICAS


O TEXTO É LONGO, MAS DEVE SER LIDO ATÉ O FIM E DE PREFERÊNCIA, COMPARTILHADO PELOS MESMO QUE DIFAMAM PESSOAS DE BEM.

Disse-se, viver em um país laico. Segundo a Constituição Federal em seu art. 5º e até tentamos acreditar na veracidade do que está escrito, que por si só já deveria nortear a conduta de todo e qualquer cidadão independente de suas posições, afinal, o artigo versa sobre liberdade de expressão, credo, política e etc.

Infelizmente, na prática as coisas não funcionam como de fato deveriam e por esta razão, somos surpreendidos com as chamadas PLCs, - Projetos de Leis Complementares, para endossar direitos aos direitos já lavrados na Constituição Federal e um dos casos, que vem gerando mais do que polêmica, é a PLC, 122 que se debruça sobre mais sobre os direitos dos LGTBs e suas correntes.

Em bem verdade, o conteúdo intrínseco da redação, é um cala-te boca aos héteros sexuais e a palavra homofobia, que só deveria ser empregada e aplicada aos atos comprovadamente de intolerância, que levam até mesmo a morte, homossexuais e outros da mesma linha de opção ou, com dizem, orientação sexual, foi não apenas banalizada, como também muito ampliada, e um olhar não entendido, uma palavra mal colocada ou algo que não tenha sido considerado normal pela classe, pronto: está fechado o tempo e tudo se transforma em homofobia.

Não satisfeitos com os avanços já conquistados, os LGTBs querem ainda: casar em igrejas, 'ter filhos' e fazer tudo com a mesma naturalidade que até então era conferida aos héteros biblicamente; é para casais héteros. Por isto também, pastores protestantes e fiéis são o maior alvo deles em críticas, chegando até mesmo a compará-los como filhos do capeta. Uma inversão total nos valores e a Rede Globo por sua vez, é a maior incentivadora do processo através de seus folhetins que não traduzem realidade, mas tenta novela após novela, imprimir este novo conceito, mesmo porquê, a maioria dos autores, são homossexuais.

No entanto, é na forma como a comunidade está se posicionando para se inserir neste novo contexto social, que está gerando os problemas de convívio, com a sociedade e os mais exaltados ou ditos radicais, entendem que tais manifestações, são uma agressão ao meio ao qual também estão inseridos. E, tentar enfiar goela abaixo seus quereres e interesses é, que estão havendo atrocidades contras eles, por aqueles que não aceitam tal imposição. (O problema todo está na imposição).

É óbvio, que tais atitudes onde muitas são seguidas de espancamento e até mortes, deve ser levado a juízo e os criminosos serem punidos na forma da lei.

Porém, é preciso destacar que os LGTBS estão querendo se colocar acima do art. 5º da Constituição Federal, e todo aquele que não concordar ou se posicionar contra a forma de suas condutas, é tratado com xingamentos do mais baixo nível, tornam-se perseguidores, invadem as redes sociais e todo o lugar que entendam que ali, deve reinar o respeito a sua causa, como já aconteceu em uma igreja Evangélica, onde duas mulheres tiraram a roupa e começaram a se beijar dentro do templo dos crentes, desrespeitando assim, o culto dos fieis. 

Chamada a polícia, para conter a situação, fizeram do pastor, um homofóbico e logo espalharam nas redes sociais o episódio e o pastor, foi tido como um criminoso e ser do inferno, pior até, quem sabe, que o próprio Satanás.

Mas, os defensores dos LGTBS, se deixam levar pela conversa dos ditos minoritários e execrados da sociedade, que vendem com muita propriedade os fatos normalmente permeado de inverdades, apenas para ganhar audiência e mais apoio popular.

Recentemente foi noticiado que o filho de um casal gay foi espancado na escola e estava em coma. Esta foi a notícia publicada, porém, a verdade sobre o fato, que não foi contado, é que o garoto, já com 14 anos, frequentava a mesma escola, desde os 6 anos, (isto significa que por oito anos não houve qualquer manifestação homofóbica contra o garoto) e, no dia do ocorrido, a escola informou que o aluno se envolveu em uma confusão na entrada, (coisa 'normal' entre adolescentes para marcar território e presença),   mas que depois, assistiu aula e brincou,  e somente depois de horas de atividades escolares, e que o garoto começou a se sentir mal.

Os pais, gays, disseram na policia que não sabiam que o filho sofria a homofobia; repetindo: (o garoto, assistiu a aula e brincou na escola), e como foi parar no hospital, em coma, os pais resolveram divulgar. Mas, disseram ao delegado que o garoto já tinha um aneurisma, "o que tenha sido o mais provável da causa mortis".

Já a secretaria de saúde informou que não haviam marcas de violência no garoto, que, diga-se de passagem, que os relatos sobre espancamentos em casos homofóbicos são bastante cruéis. No entanto, a notícia que invadiu os jornais e redes sociais, foi uma morte causada por homofobia; e não foi. 

Desta forma, e não é o primeiro caso, parece haver uma manipulação da notícia, para impressionar e sensibilizar a sociedade.


É claro há fatos mais do que irrelevantes, é claro que tem gente sem escrúpulos, capaz de cometer tais atrocidades, mas não é divulgado o alto índice de mortes entre eles mesmos sobre crimes passionais, conforme relata o presidente da Comissão da Diversidade Sexual, da Ordem dos Advogados do Brasil, em matéria publicada no jornal, A Gazeta do Acre e diz mais: " Uma das formas mais seguras, seria a união estável, algo que ainda é considerado tabu entre s próprios homossexuais". Ou seja, a libertinagem, que também acomete os héteros e homens e mulheres são assinados por motivos passionais ou mesmo de interesses de toda a sorte, acontece com eles. Desta forma, tais fatos não são apenas de foro homossexual e sim praticado para ambos os lados por psicopatas, e é isto que deve ser levado em consideração e não banalizar a palavra homofobia, como até mesmo partidos como o PSOL, tem feito.

A intolerância, deve sim, ser combatida veementemente e sem tréguas, mas a investigação sobre tais fatos dever também ser rigorosa afim de evitar distorções e a banalização da palavra homofobia.

A lei, é boa, mas temos exemplos do ECA e da Maria da Penha. O ECA, foi banalizado e, por incrível que possa parecer, um vizinho desgostoso com o outro pode denunciar anonimante, seu desafeto, por estar espancando um filho e não ser verdade.

Já a Maria da Penha, levou uma enxurrada de mulheres a denunciar seus companheiros, que depois, acabavam retirando as queixas ou, o fato concreto não condizia com a denúncia.

Vendo isto, o Ministério Público decidiu: "toda a mulher que fizer uma denúncia terá de ir até o final do processo e se não comprovar, ela, de vítima passa a ser ré. 

Tal medida, fez os índices de denúncia caírem drasticamente, afinal, a lei estava sendo banalizada pelo leviano ato de mulheres revoltadas com uma separação ou outros fatores que envolvem descompassadamente um relacionamento.

O mesmo deve acontecer com os LGTBs, pois, se continuar assim, é certo que continuarão as revoltas, as agressões e até mortes, mesmo porque, havemos de admitir, e é uma pequena parcela, está banalizando tanto a lei, quanto a palavra homofobia e isto não é bom para ninguém.

O respeito deve ser mútuo, mas os LGTBs, valem-se da mídia e redes sociais para divulgar fatos que não foram investigados a miúde e fazem disto uma panaceia para lograr êxito em seus intentos de imprimir neste tipo de força seus quereres e neste sentido, eles não medem esforços e se for preciso, eles denigrem a imagem de um hétero ao extremo e tentam torná-lo um criminoso implacável, ignorando inclusive, tanto o direito de opinar, se posicionar ou mesmo ser contra suas práticas. Ademais, mesmo que uma pessoa tenha um histórico de atividades em prol da sociedade ou títulos; tudo é jogado no lixo, fazendo desta pessoa, como costumam dizer eles para se defender; um escroto.

Está na hora do Congresso Nacional, o Ministério Público e o Judiciário, prestarem mais atenção ao que de fato envolve os crimes contra LGTBS, porque torna-se inadmissível o fato de que quem não concorda, seja severamente rechaçado por eles e, o pior, o fato de denegrir sem analisar os antecedentes da pessoa. Isto também é crime e como tal, deve ser tratado.

Está na hora das autoridades competentes, (a Polícia Federal), vasculhar as redes sociais e começar a investigar a vida pregressa e presente de alguns LGTBs, com certeza, vão encontrar fatos, que não condizem com a realidade presente, porque se isto não começar a acontecer em caráter urgente/urgentíssimo, a tendência é nos depararmos logo ali adiante com algum ainda pior do que o que já está acontecendo e a culpa disto também, recais sobre a comunidade LGTB.

O PLC 122, contraria o art. 5º da Carta Magna, chegando ao ponto de prever de dois a seis anos de reclusão a quem não concordar com a forma de conduta da comunidade e é neste caso também, que o ódio está se disseminando e gerando violência, causado pela leviandade de alguns da comunidade, que não esperam o fim de um inquérito policial e saem divulgando que um espancamento ou crime foi um ato homofóbico, o que nem sempre é verdade 

É preciso destacar, que felizmente esta não é uma atitude generalizada, mas, de uma minoria da comunidade, que quer, mesmo que seja a força, serem aceitos pela sociedade como normais e com direitos iguais aos conferidos apenas aos héteros.

Que sejam respeitadas suas escolhas como já prevê a Constituição Federal, mas que sejam punidos, se infringirei a mesma lei, tolhendo o direito de quem não concorda, se manisfestar ou não aceitar. 

Eu vivi a horrível sensação de uma hora para outra ser visto no brasil nas redes sociais por um post que comentei e, por uma palavra, que expressa a minha opinião, ser jogado no lixo.

Invadiram minha página no FACEBOOK, como uma praga, me destrataram, ofenderam, difamaram, ameaçaram e por aí vai. 

Não levaram em consideração meu histórico de luta contra a corrupção, contra o abuso de poder, meu nível intelectual e tudo o que tenho feito em prol da cidade onde vivo, do meu estado e do meu país. Simplesmente, passei a ser o maior homofóbico que existe na face da terra. Coisa que não sou, apenas tenho minha opiniões e posições muito bem definidas.

É esta a tal comunidade que quer respeito e poder expressar livremente suas opções ou, orientações sexuais e ter um convívio pacífico com a sociedade, senhores presidentes dos movimentos LGTBs e demais defensores da causa?

No entanto, eles não sabem que lamentei a morte de Clodovil

No entanto, eles não sabem que apesar d'eu detestar o tal BBB, acabei assistindo e torci pela vitória de Jean Willys, porque percebi os paredões que o colocavam, mas percebi também, que além de um ser humano, tratava-se de uma pessoa muito inteligente, sensível, equilibrado e sensato. 

No entanto, eles não sabem que sou fã de Leão Lobo

No entanto, eles não sabem que tenho em minha família homossexuais e nem por isto eu os joguei fora. 

No entanto, eles não sabem que tenho amigos maravilhosos homossexuais. 

No entanto, eles não sabem que sou o fundador de uma entidade, que está acima das associações e que também tem o dever de defender a homossexuais que estejam sofrendo com o preconceito ou com risco de morte. 

No entanto, eles não sabem nada, e mesmo vasculhando minha página, meus blogs e outros canais que tenho na web, de nada adiantou, eles me difamaram sem tréguas. 

Mas, o que eles esqueceram por suas insanidades, foi de procurar saber que eu sou e com quem estavam lidando e por este deslise, é que todos quantos eu puder; vou processar.

E mais: A partir deste episódio, vou trabalhar incansavelmente para coibir tais atos e que os responsáveis sejam punidos, assim como eles querem que sejam punidos toda e qualquer pessoa que discordar deles.

Peço aqui, desculpas aos homossexuais, que também não aprovam o que um grupo de libélulas esvoaçantes estão fazendo em nome de toda a comunidade e meus posts, sempre foram numa forma de alerta de que esta intensão de querer enfiar goela abaixo a aceitação dos quereres dos LGTBs, pode piorar ainda mais e, com isto, eu não concordo.

Todos, perante Deus, somos iguais e todos, perante a Constituição brasileira, devem exercer sua liberdade de forma pacífica e harmoniosa, mas, e isto vale para todos, se este direito constitucional for infringido, devem arcar com as consequências na forma da lei.

Mexeram com a pessoa errada. Mexeram com pessoa que defende as minorias, os fracos e os oprimidos. Mexeram com quem defendem com fervor a liberdade em todos os sentidos, desde que, não invada o espaço do outro e, quem sabe, pensaram que com seus insultos, eu iria me acovardar.

Tirei um ou dois post a pedido de amigos e família, porque se preocuparam comigo e como estavam preocupados, atendi seus pedidos, mas estou escrevendo aqui, no meu blog, para denunciar o abuso insano de uma comunidade que quer casar, criar filhos e etc, mas, que por uma palavra mal entendida, tornam-se pessoas mais do que desequilibradas. Se se desequilibram e podem se tornar até homicidas, como podem querer criar filhos, por exemplo?

Fica a reflexão para os defensores dos LGTBs, presidentes destes movimentos e autoridades como um todo. 

Eu não vou recuar das minhas posições!

IMPORTANTE: Em das muitas agressões, fechei minha página no FACEBOOK, que é de acesso público. Hoje, estará sendo aberta novamente, até porque, sou público, mas, qualquer comentário desrespeitoso a minha pessoa, não tenham dúvidas, a caneta da lei vai pegar.

Luigi Matté

Nenhum comentário:

Postar um comentário