sábado, 8 de agosto de 2009

ATÉ QUE ENFIM

Demorou muito para o Ministério Público Federal se pronunciar a respeito do pedido de afastamento da governadora do RS, Yeda Crussius.
Há muito pairam os rumores e provas combalidas sobre os desvios de verba deste governo, bem como, quem sabe, o enriquecimento ilícito da governadora.
A revista Carta Capital, O Correio Brasiliense, já haviam noticiado sobre caixa dois de campanha, o recebimento de R$ 500 mil, para a liberação do plantio de araucária, (o deserto verde que se tornará a metade sul do estado), como dizem os ambientalistas.
A bem da verdade penso que a oposição se articulou pouco ou, em passos muito lentos, de igual forma, o Ministério Público. Mas agora, ao que parece, as coisas estão tomando outros rumos e espero sinceramente que aconteça o impeachment desta senhora.
Pasmei ao ver a governadora dizer que não sabe do que a estão acusando. Coitadinha! Até mesmo os que nela votaram estão tremendamente envergonhados e arrependidos de seus feitos. Mas, como no RS, há uma corrente muito grande de anti petistas, mesmo sendo um povo muito bairrista, preferiram colocar esta paulista no poder, do que um gaúcho, (nada contra os paulistas), morei em São Paulo, são Caetano e Santos. Desta forma, o tão orgulhoso 20 de setembro poderá ter outro tom de comemoração. O impeachment desta senhora, será a vitória para parcela dos que não se deixaram iludir por suas falácias tão arrogantes. Ganhar esta guerra de mandos e desmandos e outros tantos adjetivos muito comuns nos partidos de elite, em especial, o PSDB, é colocar nos anais da história a verdadeira vitória sobre São Paulo, (a paulista em bem verdade), porque aquela guerra, tão comemorada no sul, foi perdida. São Paulo ganhou no papel e na caneta.
Acompanhemos os acontecimentos, mas vale lembrar; pobre dos que virão depois, quando tiverem que pagar este empréstimo milionário em dólar junto ao Banco Mundial, para sanar as contas do estado, posto sua postura mais do que autoritária e arrogante, não quis negociar com ninguém, muito menos com o governo federal e não faria mesmo, afinal, o presidente é um metalúrgico, um analfabeto; dizem eles: A elite.
O Rio Grande do Sul, não mereceria o que há muito vem acontecendo com seu desmantelamento, não fosse também, a sua total visão reacionária e acreditar que são a Europa no Brasil. Tem cabimento?