sexta-feira, 2 de outubro de 2009

MUITO ESTRANHO

Este caso Martinelli está e ainda dará muito pano pra manga. Daqui a pouco terá gente fazendo aposta sobre o possível desfecho deste caso, se é que já não começaram.
Eu, em lendo as entrevistas, tanto dos “réus”, quanto da “vítima” e até mesmo em análises anteriores ao bum do caso, já tinha e mantenho minha opinião a respeito. Pra começar, é estranho o fato da assessora da Yeda estar subjetivamente envolvida. Mas os fatos estranhos não param por aí. Tomei conhecimento de que Ademir Schneider havia se comprometido com o Drº Marcos Caetano de pagar os honorários dele para defender Martinelli. Motivado e sonhando em ganhar espaço e quem sabe, ser um dos advogados do partido, também assinou ficha no PSBD. Admir Schneider não cumpriu o acordo segundo o próprio advogado e este está deixando o PSBD, inconformado com a ausência de pagamento, pelo total descaso a sua pessoa e, não obstante, pelo abandono do caso por parte de Ademir. Até mesmo o Martinelli está di cara com isto. O muito estranho nestes tópicos, é o envolvimento de pessoas ligadas ao governo Yeda e o mais estranho ainda, é que o caso foi re aberto justamente num pleito eleitoral. Estranho né? As estranhezas não param por aí! Dizem que “expulsão” de Martinelli do partido na ocasião, foi uma grande armação para dar o tom de credibilidade ao eleitorado. E pode ser verdade, porque Martinelli continua no partido e agora é o presidente do diretório municipal.
Outro fato estranho é este “matador” contratado, que estará sendo julgado em breve. Por favor, que matador é esse que descarrega uma 380 no seu alvo e não atinge nenhum ponto vital? Não preciso dizer como age um matador profissional. E as estranhezas não param. A “testemunha” Vera, tomou chá de sumiço, ao que sei praticamente ninguém a tem encontrado. Há quem diga que ela está num beco sem saída e até mesmo arrependida, mesmo tendo o atual prefeito locado AP pra ela na ocasião. E a pergunta é: Por que desta locação?
Tudo é tão estranho que quando Jauri deu entrevista a este jornal, (que, diga-se de passagem, foi extremamente imparcial), declarou ser amigo do “matador”. Ora, ou Jauri é louco ou é burro ou tem tanta certeza de que não participou desta tentativa de homicídio, que nem ligou para tal declaração. Até porque ele é amigo do cara mesmo. E o Vira Mato? E o Jaime? Tenho minha opinião sobre ambos, mas, cometer esse desatino, nem pensar.
Voltando ao Vira Mato, o PSDB chegou à sofisticação de pedir a caçação dele. Foi um marketing político frustrado, porque o mais ignorante dos ignorantes sabe que nosso código penal reza que um acusado é inocente até que prove o contrário e, somente depois do processo transitado e julgado e neste caso; a condenação, é que poderia ser pedida a caçação do mesmo. No máximo, o que poderia ter acontecido, seria a câmara aceitar e analisar um pedido de afastamento do vereador de suas funções até o termino do processo. O PSDB não sabia disto? Penso que o objetivo era outro: detonar o PT.
Afora estas estranhezas de domínio público, o processo está tão cheio de furos e contradições que não da pra crer, que, diga-se de passagem, tudo começou no inquérito policial. Penso que nem o Dr. Marcos esteja acreditando no que está defendendo. Mas, até o momento, mesmo não recebendo seus honorários e as duvidas lhe pairando a mente, tudo indica que vai continuar no caso.
A pergunta esta no ar: quem é culpado ou inocente? O jogo só está começando, mas, poderá virar a qualquer momento, porque tudo é muito estranho, muito estranho mesmo e minha narrativa é apena a ponta di iceberg do todo que ainda está em oculto, até porque, tem gente do PMDB junto nesta peça teatral, mas atua só nos bastidores. Por que será heim? É muito estranho também.

Fica na paz, fica com Deus.


www.luigimatte.com.br