segunda-feira, 2 de abril de 2012

NÃO DEU OUTRA: ELES REJEITARAM O PEDIDO DE CASSAÇÃO DE DILKIN E O DESEJO DA POPULAÇÃO


Como Judas ou Pilatos, mais uma vez eles golpearam o povo

Não é atoa que a população quer que chegue logo o dia do juízo final, tanto para o executivo, quanto o legislativo que será na urna deste próximo pleito.

Faltando pouco para terminarem seus mandatos, até o momento nenhum tinha realmente dito a que veio. Exceto os cursinhos, viagens, seções solenes que ninguém sabe quanto custa, o informativo da câmara, de igual forma e, seções extraordinárias; muitas.

Claudio – Dudu – Sônia – Geada e Django, já estavam comprometidos com o prefeito desde a aprovação do empréstimo que será pago na próxima administração.

Um empréstimo desnecessário por pelo menos dois motivos: o orçamento do município num crescendo e a própria sobra do orçamento da câmara que daria para fazer os ditos asfaltamentos sem endividar o município.

Já os três petistas e a atual pessedista sempre atiraram um no colo do outro a negativa de pedir a cassação de Dilkin.

De igual forma, também não contribuíram em praticamente nada para o desenvolvimento da cidade em todos os sentidos; na saúde, nos remédios, no transporte e por aí vai.

Carlinhos por sua vez, chegou a montar um dossiê para pedir a cassação do prefeito e foi o maior divulgador do vídeo nepotista no Youtube. Mas, na seção de terça, parece ter esquecido que tenha dito a Rodrigo e Marcos que eles deveriam entrar com o pedido na câmara, assim como Tomé acenou para tanto. Neste lapso de memória, o vereador deu a entender estar defendo o prefeito. Tanto é que Dilkin não se suportou e aplaudiu a falácia de Carlinhos.

Uma pesquisa institucional, feita em 2010, sugerida pelo diretor deste jornal ao então presidente da casa, Tomé Foscarini, mostrou que mais de 70% da população estava descontente com o legislativo por não tomar nenhuma providência em relação aos atos do executivo. Também rasgaram a pesquisa e num ato sórdido, traíram o povo, como Judas e como Pilatos, soltaram ao Barrabáz, (Dilkin).

Todos, com certeza, prometeram em suas campanhas, mudar a cidade e melhorar tudo e o povo; acreditou e logo depois se decepcionou.

Como é sabido, os cinco primeiros citados, estão compromissados com o prefeito, porém, os que se diziam ser opositores, também baixaram guarda e se juntaram aos outros.

É certo que dirão que seriam votos vencidos, no entanto, se usassem da coerência, da ética e do respeito pela população, mesmo vencidos, deveriam tomar posição e votar a favor da cassação.

O próximo pleito está se aproximando, resta saber se os eleitores destes senhores e senhoras terão a mesma visão a respeito destes e destas quando forem pedir novamente o voto.

Dizem que o povo tem memória curta, a verdade sobre este dito, saberemos logo depois do fechar das urnas em outubro.

No viés do caça não caça, sobrou para o promotor Michael será que ele irá pelo mesmo caminho do legislativo?