domingo, 8 de abril de 2012

O BRASIL VISTO PELO MUNDO DE OUTRO ÂNGULO

O BRASIL VISTO PELO MUNDO DE OUTRO ÂNGULO

Há que se dizer sim, que o Brasil é um outro Brasil, depois da era Lula e agora muito bem representado por Dilma.

A presidenta tem pontuado consideravelmente de forma positiva nos diversos seguimentos da sociedade por suas medidas no nevrálgico miolo dos interesses partidários, nos ministérios, nas ações sociais e principalmente; na economia do país que continua em alta.

O Brasil do amém, desde a ditadura, agora pede passagem ao mundo e naturalmente, faz com estes se curvem e na atual conjuntura econômica, muitos estão andando sobre ovos para poder chegar a este Brasil que já começou a dar as cartas do jogo.

Lula começou esta revolução, mandando o FMI embora com seu rompante, mas com seu dinheiro no bolso. Ele também disse não a ALCA, que no governo Bush, a América queria por outro caminho que não o militar, dominar novamente a rechaçada América Latina.

Já Obama, se obrigou a chamar ao metalúrgico de; o cara, mas, de olho no pré-sal e recebendo uma desdenha de Lula, além do fato das sanções que foram aplicadas a maior economia do mundo sobre o protecionismo de seus produtos e produtores, (assunto levado a OMC), onde o Brasil logrou êxito, ou seja: aquele medo de encarrar os americanos estava com seus dias contados.

Não obstante, o ex-presidente, tratou de buscar outros mercados até então ignorados tanto pelo Itamaraty, quanto pelos empresários brasileiros, chegando ao ponto de ser porta voz dos países tanto subdesenvolvidos, quanto emergentes e Obama começou a ver seu sonho de domínio começar a desmoronar. O Haiti foi um exemplo clássico!

Com a saída de Lula, Obama tentou voltar à cena primeiramente na figura de Hillary Clinton e depois ele mesmo veio, de novo, de olho no pré-sal, mas continuou sem o aval da agora presidenta Dilma.

Com sérios problemas internos e a economia americana despencando e, aqui no Brasil, a economia em franca expansão e pujança e sendo os brasileiros os maiores consumidores estrangeiros, o governo americano viu neste processo a sua oportunidade de sair do buraco, quer dizer: o que antes era uma via sacra, resultou na simplificação da entrada dos consumidores em potencial; o Brasil. O mesmo Brasil que recentemente era subjugado.

Enfim, são tantas as ações do governo brasileiro que aqueles que ainda estão com suas visões retrogradas, devem olhar para dentro do país primeiro e perceber de uma vez por todas, que o cenário é outro e não somos mais marionetes de ninguém e, se o Brasil está sendo visto pelo mundo de outro ângulo, por que os brasileiros ainda não se deram conta disto, ou tem dificuldades de subir neste novo palco e fazer o show, que não é mais só de carnaval e futebol? Será que ainda está impregnada a cultura da submissão e rendição a um império de papel que ostenta uma muralha invisível?