sexta-feira, 28 de setembro de 2012

Fortunati amplia vantagem em Porto Alegre

.O prefeito de Porto Alegre, José Fortunati (PDT), candidato à reeleição, ampliou a vantagem sobre seus concorrentes em pesquisa do Datafolha divulgada na noite desta quinta-feira pela RBS TV. Ele tem 47% das intenções de voto na modalidade estimulada, um índice seis pontos porcentuais superior ao da sondagem anterior, divulgada no dia 12 de setembro, quando tinha 41%. Na mesma comparação, Manuela D'Ávila (PC do B) caiu de 30% para 24% e Adão Villaverde (PT) subiu de 7% para 9%. Roberto Robaina (PSOL) manteve 2% e Wambert Di Lorenzo (PSDB) 1%. Jocelin Azambuja (PSL) e Érico Correa (PSTU) não pontuaram.

O resultado indica a possibilidade de a eleição ser decidida no primeiro turno na capital gaúcha. Se computados só os votos válidos, Fortunati teria 56% da preferência, Manuela 29%, Villaverde 10%, Robaina 3% e Di Lorenzo 1%. Na única projeção feita para o segundo turno, Fortunati venceria Manuela por 53% a 32%. A pesquisa confirma tendência detectada pelo Ibope na semana passada, quando Fortunati tinha 45% das intenções de voto e Manuela 28%.

O Datafolha entrevistou 1.152 eleitores nos dias 25 e 26 de setembro. A margem de erro é de três pontos porcentuais para mais ou para menos. O levantamento foi contratado pelos grupos RBS e Folha da Manhã e está registrado no TRE/RS sob o número 224/2012.

Vox Populi

Outra pesquisa, feita pelo Vox Populi e divulgada na programação local da TV Bandeirantes no início da noite, confirmou a liderança de Fortunati por vantagem maior ainda. Dos 1,2 mil entrevistados nos dias 22 e 24 de setembro, 50% manifestaram preferência pela reeleição do prefeito na modalidade estimulada. Manuela ficou com 23%, Villaverde com 8%, Robaina com 2% e Di Lorenzo com 1%. Os outros candidatos não pontuaram. A margem de erro é de 2,8 pontos porcentuais para mais ou para menos.
Fonte: O Estadão

A Voz Comenta:

O resultado das pesquisas, irá deixar os ânimos aflorados dos que ainda acreditam que Manuela poderá ser a prefeita de Porto Alegre.

A deputada cresceu muito em termos políticos mas ainda não tem todo este cabedal junto ao eleitorado portoalegrense.

É possível também que o paraquedismo de Ana Amélia Lemos tenha dado este impacto negativo na corrida de Manuela a prefeitura.

Por outro lado, não há como negar, que o ex-petista, ao assumir o lugar de Fogaça, vem desempenhando um papel relevante a frente da prefeitura.

A reeleição de Fortunati, deverá com certeza, ser creditada a ala radical petista que insistiu no nome de Villaverde, contrariando até mesmo o desejo de Tarso Genro.

Se, por ventura o cenário mudar e acontecer um segundo turno, resta saber de que lado o PT vai ficar, afinal, o PT de alguma forma, tem uma dívida moral com o ex-companheiro e também, o PDT assim como o PCdoB, compõem a base aliada do Governo do Estado.

Não como negar também, que por pelo menos 12 anos, Fortunati participou da inegável revolução que o PT realizou em Porto Alegre e com certeza, ao sair, levou a cartilha e agora, no PDT, está colocando em prática o aprendizado.

Quem sabe a reeleição de Fortunati possa fazer o PT repensar sua postura e voltar as suas origens, que também teve a perda de Luciana Genro, por exemplo.