terça-feira, 30 de outubro de 2012

FUTURO DE TARCÍSIO PODERÁ SER DECIDIDO HOJE NO SUPREMO

Depois de ganhar a primeira eleição, depois de transformar Novo Hamburgo em um canteiro de obras; obras estas há muito esperadas pela população. Depois de chamar a Toco e transformar a FENAC no que é hoje, Tarcísio e sua equipe vivem momentos de ângustia, uma vez que foi reeleito e agora amarga uma decisão no Supremo, tudo porque, no Governo Rigotto, numa inauguração da antiga FEBEM, esta, apenas para internos e funcionários, Rigotto chamou a Tarcísio e Jair para participar daquele momento e isto agora, foi o suficiente para a oposição tomar como cabo de guerra e querer impugnar a reeleição de Tarcísio.

Evidentemente, que esta é mais uma das muitas mazelas da políticas, onde os agentes deste cenário deveriam se preocupar com os munícipes, preoculpam-se com o fato de não estarem no poder, mamando na teta do contribuinte.

Por outro lado, como houve e está havendo uma ruptura de preconceitos há muito arraigados e a gestão Tarcísio vem dando uma nova cara a cidade mais importante do vale, também é certo que estes opositores, estão irresignados.

O caso que foi levado ao Supremo, tem sido adiado e mais vistas tem sido pedida para dar o veredicto final.

Informações de bastidores dão conta de que os opositires em vendo que Tarcísio poderá ser absolvido, trataram de contrar um advogado para tentar frear uma decisão favorável ao prefeito reeleito.

É lamentável que a população de Novo Hamburgo, que nas urnas disseram sim a Tarcísio, tenha de conviver com a sordidez de políticos mal intencionados, que pensam somente e tão somente em tirar proveito da coisa pública.

Fossem eles descentes, tratariam de fazer oposição ao que possa estar errado na condução da gestão do atual prefeito. Agora, buscar no fundo do baú, um acontecimento que pode-se considerar ingênuo e tentar fazer disto uma arma para destutir o que foi constituído e legitimado nas urnas, é total mal caratísmo destes agentes 'podridíticos' que não respeitam a vontade do povo e muito menos a Constituição Federal que assegura a escolha livre por parte da população, seja ela certa ou errada.

A Voz não está sob nenhuma alegação defendendo a Tarcísio e sim chamando a razão a todos quantos são coniventes com este ato sórdido, porque pelo visto, não encontraram o que tanto queriam na administração de Tarcísio e por isto foram ao baú buscar o que já deveria ser peça de museu ou história a ser contada. Nada mais.

Cabe a população que reelegeu o prefeito, se mobilizar e dizer não a esta mazela e questionar do porquê este fato não foi levado em consideração na primeira eleição do atual prefeito, afinal, que paga tudo e é o dono de tudo, é o contribuinte e não politiqueiros oportunistas de plantão que são capazes de vender a alma ao diabo só para estar no poder e muita vez, usurpando do alheio: os altos impostos pagos pelos cidadãos.

Como diz Boris Casoy: Isto é, uma, vergonha!

Luigi Matté