segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Governo do Estado publica nomeação de 1.193 professores no Diário Oficial


O Governo do Estado publicou, na edição da terça-feira (16) do Diário Oficial, a nomeação de 1.193 professores aprovados em concurso público realizado pela Secretaria de Estado da Educação (Seduc). De acordo com informação da diretora do Departamento de Recursos Humanos (DRH) da Seduc, Virgínia Nascimento, todos os docentes serão empossados de forma coletiva, entre os dias 30 e 31 deste mês. "De forma inédita, os professores nomeados terão o nome incluído na folha e receberão o primeiro salário no final de novembro", enfatiza a diretora.

Este é o primeiro dos cinco grupos de professores que serão nomeados pelo Governo do Estado até o início de 2013. Cada grupo é composto por aproximadamente 1,1 mil professores. A Seduc começa a expedir nesta semana a carta de chamamento e orientação ao segundo grupo, cujos professores devem estar nomeados antes do final de novembro.

O titular da Seduc, Jose Clovis de Azevedo, destaca que este é o primeiro passo importante para recompor o quadro de professores efetivos da rede estadual, a qual, nos últimos anos, chegou a ter um terço do total de docentes contratados a título precário.

Texto: Portal Governo Rio Grande do Sul

A Voz Comenta:

Em tese, realizar concurso e contratar mais ou novos professores, é uma questão menor.

A que é de relevância e ainda continua patinando, é sobre o salário dos professores, bem como novas metologias de ensino que se adequem ao novo milênio e, neste contexto, resgatar o papel da escola, a partir da releitura do tal ECA - Estatuto da Criança e do Adolescente, que, por conta disto, têm feito o que bem entendem com o corpo docente e demais funcionários das escolas.

A tônica da metologia de ensino hoje está se voltando para a dinâmica. Espera-se que este concurso, não tenha sido feito apenas como uma forma de apagar incêndio, mas que os que prestaram o concurso, estejam sintonizados e sincronizados com este novo tempo, porque, por favor, já não tem mais como aguentar professores que se formaram a décadas e continuam ministrando suas mesmices em aular chatas e sem qualquer incentivo ao aprendizado do alunado.

De qualquer forma, a medida do governo vem em boa hora. Agora, é esperar o andar da carroagem para ver como as melancias se acomodarão.