terça-feira, 30 de outubro de 2012

HGV: TRANSFUSÃO DE SANGUE A NOITE, SOMENTE SE O PACIENTE ESTIVER MORRENDO - ONDEM DA SECRETÁRIA ÂNGELA MARMIDT

Quem se iludiu com a pintura do HGV que custou cerca de R$ 80 mil, a custa de doações, meios frangos e pedágios, não tem noção do que realmente está acontecendo nos bastidores.

Falta todo o tipo material para procedimentos de emergência. Não tem cobertas, não tem médicos e, melhor dizendo muitos estão batendo em retirada, tanto devido a falta destes, como de pagamentos.

Na insanidade da atual administração em tentar economizar para pagar o rombo de cerca de R$ 8 mi, os funcionários do hospital estão sendo diretamente atingidos com cortes de extras e FGs para compensar as muitas horas que têm de trabalhar para compensar a falta de contingente.

A mais recente aconteceu hoje, quando o chefe da enfermagem chamou as pessoas encarregadas de transfundir sangue e, por conta disto tem de ficar de sobre aviso 24 do dia 7 dias da semana e informou que as horas que recebem para este trabalho será pago em percentual de 20% e informou ainda, que as transfusões de sangue a noite, segundo determinação da secretária de saúde só ocorrerá se o paciente estiver em eminente estado de morte, do contrário não. Ou seja: terá de voltar no outro dia para que estas pessoas que realizam este trabalho não recebam por este, devido ao fato de que também, exercem outras função concursada na saúde.

Ângela já vem a algum tempo comentendo seus pecados no trato com a secretaria, bem como os funcionários.

Ela que outrora já ocupou o cargo, é tida como uma pessoa que persegue seus desafetos e não goza de simpatia perante os funcionários da saúde.

Dissimulada, age as espreitas e não está cumprindo condizentemente com a pasta ao qual se diz ter domínio.

Uma informação de bastidor, diz que Ângela, agora no PMDB, estava empenhada em atrapalhar os planos de Waldir, quer dizer, a situação na saúde já está caótica e Ângela tratando de piorar ainda mais o quadro.

Outro fato que tem passado despercebido, é de que antes de ocupar o cargo, ela exercia a função de fisioterapeuta no posto do centro, sem ter autorização e muito menos concurso para este fim.

Mas, com tudo isto acontecendo, a pergunta que fica é: onde está a vereadora Rosani Morsch que se elegeu com a bandeira da saúde e agora concorreu como vice levantando a mesma bandeira?