terça-feira, 16 de outubro de 2012

WALDIR ACHOU QUE GANHARIA DE NOELI TREIN, MAS SE DEU MAL

A audiência que estava marcada para 15:50 deste 16/10 no foro de Estância Velha, começou com a chegada de Waldir numa viatura da Guarda Municipal, quem sabe ele esteja treinando para logo, logo sair de fato dentro de uma viatura, mas, para a cadeia.

Arrogante como sempre, mas tentando se mostrar gentil, cumprimentou aos que estavam na sala de espera, foi quando Noeli disse a advogada que aquele era o prefeito. A advogada no entanto retrucou: por mim, pode se o filho do papa, que não estou nem aí.

Em sala de audiência, Waldir também cumprimentou ao promotor e a juíza.

Aberta a sesão, a juiza sugeriu deixar o assunto quieto e, num primeiro momento, Waldir estava querendo aceitar, perguntado a Noeli ela disse que sim, no sentido de não magoar o sobrinho.

Porém, Waldir, em sua mais do que audácia e neste caso, ignorância, chegou querer apresentar a magistratura, uma pena alternativa para Noeli que seria de realizar serviços comunitários para a prefeitura.

O que Waldir não esperava, é que da manga surgiu uma carta na mão da advogada de Noeli; um BO narrando os fatos, mas na versão da então ré e esta entregou para a juiza Roseli.

O momento foi desconsertante para Waldir e neste momento ele se insurgiu dizendo que queria continuar e a advogada o enfrentou dizendo: tudo bem, se é assim, vamos continuar.

Waldir ainda quiz desfazer do BO e em mais um ato de rompante perguntou se a advogada teria como provar e ela disse: quer continuar, sim eu tenho. Ele então quiz saber como, e ela respondeu novamente: isto sua advogada ficará sabendo nos altos.

A juiza então, sugeriu mais uma vez que Waldir deixasse de lado o processo. Porém, enquanto a audiência tinha sua continuidade, Waldir ficou mexendo os lábios e dizendo sem sessar: puta, vagabunda, se referindo a Noeli.

A advogada ficou olhando a atitude de Waldir e sinalizou com gestos de mãos para ele que ela estava vendo e se ele queria que ela se pronunciasse sobre seu ato perante a juíza. Este foi o derradeiro para Waldir.

Terminada a sessão, foi pedido o arquivamento do processo, mas, a advogada, não deixou por menos e depois da audiência, quando Waldir deixou o foro ela procurou a advogada no sagão e disse: quero que você informe ao seu cliente que eu ví o que ele fez. Em outras palavras: se ele insistir em ofensas, voltatemos ao foro e ele será o réu.

Para Noeli foi um dia de glória, pois viu seu desafeto sair da sala de audiências bufando sem conseguir seu intento, que era; humilhá-la.

O Waldir não sabia, é que a advogada em questão, se chama: Doutora Eliana Matté - juiza consiliadora e leiga - nove anos de judicário - mais de dez como advogada e com um índice de mais de noventa por cento de causas ganhas, que veio especialmente de Porto Alegre, para defender Noeli.