quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Facebook deixa seus usuários mais nervosos, gordos e pobres, segundo estudo

Estudo realizado por cientistas da Universidade de Colúmbia e de Pittsburgh chama atenção para um padrão de comportamento inusitado nos usuários do Facebook. Todas as pessoas que possuem uma imagem positiva na rede têm a tendência de sofrer uma diminuição no seu autocontrole.

"Quando você se sente bem consigo mesmo, você se sente no direito de fazer as coisas. E você quer proteger aquela imagem melhorada, o que faz com que as pessoas reajam tão fortemente àquelas que não concordam com suas opiniões", afirmou Keith Wilcox, um dos autores da análise, em entrevista ao"Wall Street Journal".

Segundo os especialistas, uma das consequências mais notadas é o aumento da agressividade. O estudo contou com 541 participantes e foi dividido em cinco partes. Outra característica percebida pela equipe é de que os usuários possuem ainda a tendência de engordarem e perderem dinheiro com mais facilidade.

O estudo aponta também que pessoas que passavam ao menos cinco minutos no Facebook acabam mais propensas a comer um biscoito ao invés de uma barra de cereal. A preguiça de resolver problemas cotidianos também sofre um aumento entre os usuários da rede. O porta-voz do Facebook não quis comentar o resultado da experiência.

Fonte: Yahoo notícias

A Voz comenta:

A febre das redes sociais é algo que vem de há muito com o advento desta modalidade de entretenimento, mas que por outro lado, tem gerado o distanciamento das relações humanas corpóeas.

As redes sociais e os sites de relacionamentos também propiciam a criação de personas que não condizem com a realidade de seus idealizadores.

Noutra ponta, muitos tem se abstido do contato pessoal e isto diz mais respeito as mulheres e fazem das redes até mesmo lugar para explorar seus prazeres íntimos e sexuais. Tem até quem diga que face a violência urbana e os muitos dissabores do contato físico, faz com que este tipo de mecanismo seja mais seguro.

Além do nervosismo, apontado pelo estudo, a depressão e insegurança no convívio social, faz com que cada vez mais pessoas no mundo inteiro, valham-se deste elemento virtual, para expressar seus anseios reais aos quais não coseguem fazer em seus cotidianos na dita vida real.

Enfim, o estudo está aí e cabe a cada um ver onde se encontra ou não nele a fim de realinhar sua conduta e enfrentar a vida como ela é e não fantasiando na tela de um computador.

Luigi Matté