quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Caso Martinelli: Áudios poderão mudar o rumo deste nebuloso caso

Depois que a juíza Rosali, como Pilatos, lavou as mãos e deixou que um juri popular decida sobre a tal tentativa de homicídio, dita praticada pelos réus; Jaime, Carlinhos Vira Mato e Jauri, ainda em seu despacho se fez salientar de que se trata de um caso político. 

Porém, A Voz que sempre se manteve posicionada afirmando que este dito crime jamais aconteceu e em outras matérias mostrou os motivos do porque não, agora a veracidade dos fatos poderá vir a tona como sempre teve dito A Voz.

Dois áudios, um deles já a disposição do Ministério Público e outro que ainda deverá chegar, revelam toda a farsa deste caso que se arrasta na justiça.

Num deles, a que deverá ser testemunha de Martinelli diz com riqueza de detalhes como tudo na verdade aconteceu e nomes até então na obscuridade do caso, se fazem presentes na gravação.

O outro diz respeito a um encontro da 'vítima' com seu então advogado, onde Martinelli revela que tudo era uma armação.

É de se deixar claro que A Voz não mantém nenhum tipo de relação pessoal íntima com os réus, porém, a verdadeira justiça deve ser feita e os réus, se cometeram outros crimes de natureza diversa, é por estes que devem pagar e não por algo que o inquérito policial, mais do que falho, tenta incriminar os citados como mandantes.

Há informações também, de que será pedida a reabertura do inquérito e, quem sabe, agora, a polícia seja mais criteriosa na investigação e averiguação dos fatos.

Somente quem tem muita sede de vingança em relação aos réus é que pode acreditar que os mesmos tenham sido mandantes desta tentativa de homicídio.

Por outro lado, o dito matador está preso e, por sua ficha criminal, jamais, o Seco, descarregaria uma 380, acertaria apenas cinco tiros e nenhum em algum ponto vital.

Por outro lado e isto é comprovado, nenhum matador profissional se depara com seu alvo da forma como foi narrado no inquérito, além do mais, somente um projétil seria suficiente para fazer um enorme estrago na vítima.

Pelo visto, este caso ainda será palco de muita discussão.