sexta-feira, 11 de outubro de 2013

Estância Velha/RS: Presidente da Câmara Saci, libera R$ 800 mil para 13º do funcionalismo. Tarde demais!

Na disputa da guerra de beleza entre os vereadores e até mesmo uma disputa judicial, para fazer com que Saci liberasse ao executivo a sobra do recurso da câmara para o pagamento da parcela do 13º do funcionalismo público, não havia dado em nada.

Saci, irredutível, disse que não devolveria tal recurso.

Em verdade, a atitude do presidente do legislativo não tinha o cunho e este correto, de atender aos reclames do prefeito que atola cada vez mais o município em dívidas, mas sim pelo fato de Waldir não ter cumprido um acordo de bastidores com ele.

Já na casa legisladora, os que votaram a favor da devolução também queriam em verdade impedir de que Saci devolva ao sinal do ano uma bolada ao executivo e com isto, segundo eles queira tirar vantagens politiqueiras da situação.

O valor no entanto, ao que parece já está chegando tarde demais, pois, segundo informações, cerca de 63% do funcionalismo já contraiu dívidas através de empréstimos para saldarem seus compromissos.

Os R$ 800 mil devolvidos pelo presidente não serão suficientes para conter a sangria financeira e ainda faltarão cerca de R$ 400 mil para completar o valor da parcela do décimo.

Além disto, o executivo enfrentará outro problema que é o adiantamento de salários do funcionalismo e isto importa um valor de mais de R$ 1 milhão.

Com tudo isto acontecendo, a verdade é que as guerras de belezas continuam, o legislativo é incompetente e não faz o trabalho para o qual a população os elegeu para ser feito; fiscalizar.

A prova disto está nesta celeuma da tal terceirização do HGV, que nem de longe atende aos critérios prováveis previstos em lei e mesmo assim, a casa legisladora está dando audiência para Ângela e Waldir estarem nos jornais locais declarando que terceirizar é preciso quando o cerne do problema é a má administração da unidade.

Além de tudo isto, a casa legisladora assiste passivamente os mandos e desmandos da atual administração, sem fazer absolutamente nada. Ademais, a maioria, senão todos, não tem um mínimo de conhecimento de leis e quem sabe, ainda não sabem, o que vieram fazer no legislativo.

Péssima escolha da também despreparada população e da outra parte desta que se beneficia a cada pleito.